A pureza pode ser vista como essencial à estratégia?
Quanto mais poderosos forem os desafios, maior é o potencial de “purificação” das estratégias que eles carregam.

A flor de lótus é símbolo de pureza no Oriente porque consegue ficar imaculada em ambientes extremamente sujos. E aí tem uma curiosidade. Se a gente analisa a superfície da flor de lótus, vê que ela é branquinha, mas não é lisa. É como se fosse formada por uma série de micro montanhas. A sujeira fica equilibrada na ponta dessas pequenas montanhas e qualquer vento, qualquer chuva, a limpa. Então é uma superfície autolimpante. A flor de lótus serviu de inspiração para uma empresa alemã criar uma tinta para a parte externa de prédios que não precisa de limpeza. Qualquer chuva, qualquer vento limpa a pintura do prédio. Eu achei uma grande sacada, que é um pouco da proposta da biomimética que a Janine Benyus tão bem coloca nos seus livros.

Se a gente pega a ideia de que a flor de lótus também representa pureza, eu colocaria uma conexão entre resiliência e pureza de valores do líder. Porque se ele não estiver puro dentro de si, nos seus valores, na ética, ele não tem força interna para resistir a essa intempérie de coisas ao redor que parecem querer levá-lo para outro lugar. Então, parece que tem uma questão não usual que eu queria deixar aqui para reflexão: O que que gera resiliência? Pode ser essa pureza de valores que a pessoa tem dentro de si. Apoiar-se nos valores, nas intenções mais nobres que podemos ter. Um pouco daquilo que falamos no final do APG.

Na medida em que estamos na nossa melhor versão, nós estamos naturalmente resilientes. Parece que nada nos perturba, estamos no Vzero o tempo todo. Até mesmo colegas que estão “buzinando coisas” ou fazendo coisas estranhas não nos afetam. Por outro lado, pelo exemplo que podemos ser, por essa pureza de intenções, essa pureza de valores, nós até contagiamos sem palavras.

Parece que essa ideia do líder como exemplo é algo de que mais precisamos hoje. Não são as palavras. Às vezes há líderes que falam demais. Não precisa. É o exemplo que arrasta. É o exemplo que tem uma força enorme de contágio positivo. Isso acontece até quando nem tenhamos a intenção de convencer alguém ao nosso redor. É a integridade com que você atua, a dignidade que exala de você no dia a dia, que vai transformando as pessoas ao seu redor. Não só as nossas equipes, mas também os nossos pares e os nossos superiores.

Então, parece que tem alguma coisa que precisamos ter muito presente. Por exemplo, quando a gente se propõe a buscar soluções para os grandes problemas do país. Se houver interesse oculto, se tiver uma agenda oculta, se tiver uma intenção que não seja pura – além daquela de simplesmente ajudar o país – não vai dar certo. Mas parece que isso não está claramente no nosso modelo mental. Vou repetir porque acho isso extremamente importante. Nós podemos propor soluções para o governo, e podem ser propostas genialmente criadas. Mas pode ter um pouco daquilo que a gente está vendo por aí, que é aquele tipo escondido, que não tem intenção pura, mas uma outra intenção oculta. Não vai funcionar. Porque parece que as pessoas naturalmente conseguem perceber as manipulações e esses processos uma hora aparecem.

Quando a gente fala de exercer esse protagonismo, essa cidadania na sua plenitude, ela tem que estar pura. A intenção tem que estar pura como a flor de lótus. É uma resiliência em que a gente não precisa pensar muito no dia a dia. É essa dignidade interna, essa integridade que naturalmente dá essa resiliência que todos nós gostaríamos de ver em nós e nas pessoas ao nosso redor. E as situações que a gente está vivendo – todos nós estamos vivendo situações extremamente desafiadoras. É nesse momento que a ideia de não desistir, de buscar soluções alternativas, de tentar uma, tentar duas, tentar três vezes. É aí que começa a transformação, não só de nós mesmos, mas do nosso ambiente como um todo.

É por aí que eu gostaria de comentar que quanto mais difícil o contexto, maior a prova para nós mesmos e para as nossas próprias equipes. É nessa hora também que vemos pessoas que espanam, ou seja, pessoas que não aguentam a pressão ou pessoas que revelam algo que traziam dentro de si. Por exemplo, que sempre tiveram uma postura pessimista, negativa e que numa hora dessas ela é exacerbada. E começamos a ver a realidade dessas pessoas de um jeito bastante claro. Então, isso tudo faz parte do processo de purificação e o processo de transformação e mudança que nós precisamos ter mais no próprio país.

Conteúdos Relacionados

X